2 de maio de 2011

Só de dois

"Porque os dias bonitos de outono eram curtos, mas os de verão também eram, primavera e inverno não bastavam. Precisávamos de mais dias, e noites, mais vidas. Precisávamos existir mil vezes mais para contar um ao outro sobre as proezas e misérias que encontramos. Éramos, então, pequenos diante do absurdo que rondava. Não nos restou, portanto, que a metáfora. Miramos as estrelas, já que do impossível estávamos fartos. Podíamos dizer qualquer coisa entre nós. Inclusive, e principalmente, nosso mais íntimo imponderável."

10 comentários:

Anônimo disse...

Dizer tudo é uma utopia.
Uma utopia de amor.

Rodolfo Lima disse...

To vendo que anda bem ocupada hein!!! rs

*Livia* disse...

(suspiro)
Ai, que lindo!
Bjs

Anônimo disse...

amor nao es tudo, mas pode ser

Anônimo disse...

O amor é simplesmente o que você pode fazer dele, ou não...

Magno Nunes disse...

E pra você que não quer ficar sozinho nesse inverno, chegou o Super Papo!

Magno Nunes disse...

Interessante...
"O amor é simplesmente o que vc pode falar dele, ou não"...

Que beleza hein, disse tudo, ou não! ahahahaha

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

"De tempos em tempos você tem que me caçar de volta"

Risos...

Por aqui já esteve melhor, mas vai melhorar!

Abraços Imundos.

Um brasileiro disse...

Olá. Muito lindo aqui. Gostei. Apareça por la. Claro. Depois que vier aqui. Abraços

Joey Marrie disse...

E quando, e se é amor a gente nunca se basta, o outro nunca nos basta, e assim a gente vive...