16 de abril de 2010

Pittoresco

Eu mesma já vi muita coisa suspeita nessa vida, como a minha irmã ganhar o prêmio de uma rifa que ela mesma vendia, por exemplo. Agora, tele-sena como moeda nacional não conhecia. Mas daí passou lá na frente de casa um alto-falante de carro:

“Pamonha, pamonha, pamonha!
Pamonha fresquinha!
Temos cural e pamonha!
Corra que já está acabando!”

Até aí já é bem suspeito que haja duas gravações: uma pra quando a pamonha estiver acabando e outra pra quando ainda tiver bastante. Ou será que o alto-falante já começa anunciando, às 6h da manhã, que a pamonha está acabando? Será que é pra causar uma espécie de pânico social e precipitação coletiva em direção à (toda) pamonha restante?

“Pamonha!
3 por apenas 2 reais!
E traga sua tele-sena!
Trocamos tele-sena por pamonha!”

Opa!
Aí é negócio, hein?
Procurei a dona da voz feminina dentro do carro, mas me deparei com um baixinho bigodudo.

Hummm...

Voz de mulher + 3 por $2 + já tá acabando às 2h da tarde + tele-sena serve + bigodudo

...Não.
...Mesmo que eu gostasse de pamonha...
Vai que é de ervilha!

4 comentários:

Felipe Teles disse...

Por essas e outras não gosto de pamonha...

Afinal nem compro tele sena mesmo..

Muito Bom Caringe..

Carolina. disse...

Husahushaushas.
É vai ver é ervilha!

Adorei a crítica bem-humorada!

Beijão, Camila

Magno Nunes disse...

VAI PAMONHA!
VAI CURAL...

TRAGAM VASILHAS!
TRAGAM PANELAS...

FlamingLips disse...

É q nem churrasco grego c/ vinagrete de gaveta...