2 de agosto de 2010

Anósnão


A gente não decide.
A gente vai decidindo...
A gente não escolhe.
A gente vai escolhendo...
A gente não toma uma atitude. A gente percebe que ela é que nos tomou! e nós?
...Nós não tínhamos escolha, não decidimos nada.


A vida involuntária que vive em nós é que acontece. Um humano é um fantoche do algo maior que lhe sobrevém e sobrevive a ele, que fica depois dele. Nós éramos isso quando a manhã com pena nos encontrava ali jazidos: subalternos da paixão que não faltava pra ser amor. Ela tinha que acontecer, a manhã tinha que se acontecer a si, que acordar a noite, que cumprir sua missão tenra e morna de ser manhã de agosto.

A vontade não é bem o que move o que há, mas a não-vontade, o essencial que nos falta, o que nos falta, o que não é, a falta que faz é que nos suga pra dentro da roda e nos coloca em movimento. A noite podia ser eterna, um instante podia ser estanque, mas o estanque é ilusão que não serve nem mesmo pra ser ilusório. É ilusório o amor que é presente porque se ausenta.

“O amor já está, está sempre. Falta apenas o golpe da graça – que se chama paixão.” (LISPECTOR, 1964)

6 comentários:

Magno Nunes disse...

É...e quando a gente nota, já foi...
E não tem mais volta...

FlamingLips disse...

Tem muita gente que acha que vive, que escolhe... não vivemos somos vividos, e é melhor até do que tentar escolher... quando escolhemos não raro nos enganamos, quando flui, simplesmente flui... o rio segue seu curso, e eu te amo.

LIno XOngas disse...

Eu já acreditei no destino, mas foram tantas as mentiras que ele me contou, que hoje sigo por conta própria. Mentira por mentira, afinal, eu as conto melhor.

rpdl disse...

Pergunte para a tal Clarice, como fazemos para sermos merecedores do tal golpe da paixão.

X-Pink disse...

Oii, gostei do seu blog, de uma passadinha no meu:
http://xxx-pink-xxx.blogspot.com/ ?
Se gostar do blog segue, please ??

Bjox da X-Pink.

Joey Marrie disse...

Existe uma canção que diz "quem ama, ama o amor e não outra pessoa".
Numa certa conversa o questionamento de uma amigo meu "se a outra pessoa não está, não há amor".
Mas é claro que há. Por que o amor é como Deus, onipresente. Não precisa ser visto, concreto, para existir e ser sentido.

;D