2 de maio de 2009

Irmã

Dia desses ela perguntou:


_ Cá! Você concorda que “o ódio é uma forma estranha de amar”?
_ Uhum.
_ Concorda??? Por quê?
_ Porque a medida de tudo é o amor. Tudo o que existe é realizado com mais ou menos amor. Mas tudo é amor.
_ Não... O ódio é a falta de amor!
_ Esse conceito é igual o frio. O frio não existe. O que existe é a ausência de calor. E, mesmo assim, nunca existe uma ausência completa. Por exemplo, quando estamos à zero grau, isso significa que não está calor, certo? Mas poderia estar fazendo -10 graus. Ou, -20. Ou, -50. Sempre pode ser mais frio. Isso quer dizer que sempre existe um pouco de calor que ainda pode ser subtraído. É o mesmo que acontece com o amor. Pode ser que você sinta mais ou menos amor por uma coisa ou por outra, por uma pessoa ou por outra, de acordo com as suas preferências, com a sua capacidade de identificação. Mas a sua relação com o mundo é de amor. De mais ou menos amor. Por isso, de mais ou menos cuidado, de mais ou menos importância, de mais ou menos afeto. Mas a medida é sempre o amor.
_ Mas não pode ser, Cá! E quando você odeia alguém e mata?! Você não pode matar por amor! Isso não faz sentido!
_ É mesmo? Então pensa assim: como é que você sabe quando você ama alguém?
_ Ah... porque aquela pessoa é importante pra você...
_ Humm... E você se daria ao trabalho de matar alguém que não tivesse a menor importância para você?

(((sorriso)))

_ Ai, péra! Tchô pensar!
_ Uhum.
_ ...Mas... então... as pessoas matam por amor??? Essa é a justificativa?
_ As pessoas matam porque não sabem realizar o amor que sentem de uma maneira saudável e equilibrada. Daí, quando desequilibram a si mesmas, desequilibram também a situação toda, o contexto. E atingem a pessoa que amam de forma destrutiva, ao invés de construtiva. Isso não quer dizer que não haja amor. É só que existe uma situação em desequilíbrio. E não importa por que tenha havido o desequilíbrio. É claro que quem atenta contra uma vida deve ser responsabilizado e punido. O amor não pode justificar um crime como esse. O que estou tentando dizer é só que as relações humanas não são tão simples.

(((sorriso)))

_ Ah... tá... É... não sei... Preciso pensar mais!
_ Tá bom! Mas lembra que você pediu minha opinião, certo?! É só o que eu acredito. Mas... qualquer coisa tô aqui!

(((sorriso)))

8 comentários:

Joey Marrie disse...

"O ódio é uma estranha forma de amar."

Pessoa de sorte essa irmã!
Quem me dera eu ter uma Camila perto de mim pra dar a sua opinião nas minhas dúvidas fundamentais.
Pra me expor suas teorias sobre ódio, amor, amizade... ou simplesmente esclarecer uma que eu nunca consegui superar:
"Por que a gente escreve 'separado' tudo junto, e escreve 'tudo junto' separado?" ^^

kkkkkkkkkkkk

Victor Luna disse...

Deus é amor.

Falasse assim pra ela e tava tudo mais fácil. Ela usaria saia, não depilaria o buço e ia chamar todo mundo de irmão. Sem contar o dízimo.

Fe disse...

Que inveja, quero uma irmã dessa...

Quem me dera ter uma irmã me fazendo esse tipo filosofico de pergunta...

por isso amo minha futura esposa...

e a Ca?

bem, ela foi questionado né...

rs... amo as duas... desculpe se mataria...

Anônimo disse...

O Odio e o Amor sao a mesma pessoa, pois e! Acredite e confie em mim!
Nos que em um fundo mitico, noveleiro ou dual, queremos acreditar que sao seres diferentes e que um pertence ao bem e o outro ao mal/mau (nunca sei qual usar). Nos, seres mortais e reles criaturas ignobias, que queremos classificar todos os seres eterios e eternos. O Odio aparece quando nao sabemos lidar com o exterior em nosso interior de uma forma igual ao Amor, que surge quando sabemos lidar. Ja assistiu o filme do Batman? Aquele com o duas caras, e a moeda de sorte e tal... Ele me lembra muito isso, uma pessoa, a mesma essencia, so formas diferentes de conviver, e uma moeda lancada para o alto para definir uma sorte viciada. Afinal, dos outros eu nao sei, mas eu sempre ganho... Ate quando perco.

Assinado...
Senhor Anonimo.

Chico Silva Jr disse...

Isso é um quarto ou o Café Filosófico???

gemini disse...

Que lindo. Nunca tinha pensado assim. Só faz lembrar que, de fato, as relações humanas não são nem um pouco simples. É tudo muito mais complicado do que a gente imagina. Que coisa.

Mas ótima explicação. Se um dia minha irmã me fizer essa pergunta (o que eu duvido.. rs) vou usar a sua resposta, tá? Prometo que deixo os créditos pra vc! =)

beijos!

Camila PE disse...

ameiiiii!

Magno Nunes disse...

Amar é sair correndo e pular na frente do busão para a pessoa não perder o horário!

E se deus é amor, WANDER É AMOR...! Afinal ele é deus, mas isso é assunto pra outros dias...

Enfim, ahhhh sua irmã viu...porque ela não pergunta porque o céu é azul ou o sol é marelo!

Brincadera viu...hehehe