28 de maio de 2012

Do extremo mau gosto


Não conhecia o vídeo e raramente vi esse programa, mas conheço pessoas que o assistem frequentemente.

Sugiro ao canal responsável que a atriz que faz o papel de repórter seja deslocada para participações que melhor se adequariam ao seu estilo clown.

A entrevista é de todo humilhante e não pude ver até o final.
Como jornalista, sinto-me ferida na minha integridade.
Como ser humano, estou ofendida pelo tratamento que dispensaram ao menino.
Como cidadã, fui ultrajada pelo discurso social ali veiculado.

Espero, honestamente, que esse e outros programas promotores do mau gosto e da desinformação sejam afetados por medidas judiciais e que este caso sirva de exemplo.

A imprensa que estupra
ELIANE BRUM
(clique)

10 comentários:

Marcella Andriani disse...

Aparenta ser mesmo de algum programa de mau gosto.
Ou de algum jornal pequeno de alguma cidade nada a ver.

Claro q nenhuma dessas opções justificaria nunca tudo q ela fez.

É muito triste.
Muito triste mesmo.
É de dar um nó no coração da gente.
De querer joga-lo fora depois.
So pra parecer mais justo não ter coração depois de ver o q ele passou e automaticamente lembrar que não é o primeiro e não vai ser o ultimo.

Anônimo disse...

Um absurdo! mas esta reportagem não está entre as que mais me preocupam, haja vista sua grosseria e nítida ofensa aos princípios do bom jornalismo. As que me preocupam usam termos bem mais sutis, mas tem um poder ainda maior de denegrir e condenar uma pessoa.

Anônimo disse...

Dê uma olhada nesta reportagem:
Close na cara do acusado e o primeiro OFF: "O cozinheiro Lourival Lemos oferecia dinheiro e até emprego para ter relação sexual com rapazes entre 14 e 18 anos". Depois tem as acusações das "supostas vítimas". Por fim, a palavra do delegado, autoridade mais que competente para dizer que alguém é criminoso (a competência de um delegado para dizer que alguém é criminoso é a mesma do faxineiro da delegacia).

"Eles tinham mandato de prisão por prostituição infantil. Eles podem pegar até 10 anos de prisão".
Se eles podem pegar até 10 anos, não houve julgamento. Se não houve julgamento o mandato não é por crime de prostituição infantil, é preventivo, decretado para resguardar o bom andamento do processo e instrução criminal, independente do crime. "Um cara acusado de roubar uma cebola no na feira, se não tiver residência fixa será preso preventivamente".

http://www.youtube.com/watch?v=AgJMGVPps9g

PS: Delegado conduz o Boletim de Ocorrência, que é um instrumento administrativo de investigação e não criminal. Este instrumento pode ser entregue para o Judiciário que avaliará.

LIno XOngas disse...

O seu link está quebrado e não leva á matéria (pelo menos no Firefox).

Me pareceu saudável, entretanto, a mobilização dos bons jornalistas no sentido de restabelecer a ética e condenar tais abusos.
Parabéns também a você pela sua manifestação, como sempre, acertada.

Vítor Massao disse...

no momento em que o entretenimento se confude com o jornalismo, em que ambos pensam não possuir responsabilidade sobre o que vinculam... demonstramos um passo triste no direito à comunicação e construção de um mundo mais justo... fico triste com o deserviço que a mídia gera... direito de resposta neles!!!

Joey Marrie disse...

É, pode até ser que, segundo o STF, não seja obrigatório se ter diploma de jornalismo para exercer a profissão. Mas acho que deveria-se exigir um máximo de caráter, responsabilidade, respeito à sociedade!

Camila Caringe disse...

Band pode responder na Justiça por programa humilhante
Por Jeronimo Calorio em 29/05/2012 na edição 696

O caso da repórter Mirella Cunha, do programa Brasil Urgente Bahia, da TV Bandeirantes, está na mira da justiça. Após uma onda de críticas nas redes sociais e de manifestações de entidades civis à matéria da jornalista, o episódio pode gerar processos contra a repórter, o programa e a emissora por violar direitos constitucionais e os direitos humanos. A coordenação do Núcleo de Criminal do Ministério Público Federal da Bahia apresentou na quarta-feira (23/5) uma representação pedindo a investigação do caso e a tomada de medidas cabíveis. Já o Ministério das Comunicações eximiu-se da responsabilidade de punir a Bandeirantes.

http://observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed696_band_pode_responder_na_justica_por_programa_humilhante

Magno Nunes disse...

Mirela, tadinha...

Dessa patizinhas, modelestes que vão pra faculdade passear nos bares.

Bonita está na tela, as competentes, escrevendo em blogs...

C'est la vie...

Camila Caringe disse...

Ixi!

Virei a competente feiosinha, é isso mesmo?

Confere, Magnera?

Magno Nunes disse...

Isso ahahahaha FEIA FEIA