23 de julho de 2008

3008

...E me dei a pensar no que será de ‘nós’ daqui a mil anos.
Bem, para começar não seremos exatamente nós. Serão estranhos habitantes descendentes dos atuais. Possivelmente conversarão por telepatia, o que exigirá uma força sobremaneira de adaptação para gente que gosta muito de usar o verbo, como eu, por exemplo.
Depois, não teremos mais carros. Teremos discos silenciosos e não-poluentes. Percorreremos longas distâncias em curto período.
A alimentação será balanceada e em justa medida. Nada de super-big-alguma-coisa. Serão cápsulas nutritivas.
O acesso a bancos de dados online se dará mentalmente, uma vez que teremos confortáveis chips implantados no corpo, o que nos permitirá também movimentar objetos com a força do pensamento.
Minha incrível coleção de cartões postais não valerá mais nada. A globalização vai engolir a diversidade cultural. Não poderemos mais ver a mão sem braço se mexer sozinha ao comando da voz de um homem na Praça da Sé.
Shakes e faixinhas de cabelo serão desnecessários.
As pessoas serão mais educadas e mais nobres. E meninos não farão mais questão de quebrar o coração das meninas.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mil anos antes...

P.p.

Leandro disse...

daqui mil anos inventaremos uma maquina do futuro para voltar no passado que era bem melhor
:D


bjoss

Magno disse...

Você esterá lá?
Então vai valer...

Porque mesmo daqui a mil anos...farei minhas as palavras do Robertão "Eu sou aquele amante a moda antiga do tipo que ainda manda flores..."

MEU DEUS QUE CATÁSTROFE! não vai ter mais PCB...e aagora???NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOO


Beijos Cá..
Má (Briiiiiiiiiiincadera....)

nata disse...

hahahahah... ai que dó... qm ve a ultima frase ateh acredita...rs

Anônimo disse...

Cinco mil anos, pelo menos, que o homem estabeleceu a escrita. Três mil anos de filosofia.
Mas 2/3 da humanidade ainda vive na miséria, no analfabetismo, nas superstições, dogmas e crenças.
Não creio que algum dia teremos esta evolução universal.

Magno disse...

Gostaria que a Nata do leite não se pronunciasse! HEHEHEHE

gemini disse...

Bom, em 1994 eu acreditava que no ano 2000 tudo seria diferente... os carros iriam voar e nós poderíamos nos teletransportar...

É. Hoje eu me contento em acreditar que um dia, enfim, os "meninos não farão mais questão de quebrar o coração das meninas"...

Nesse dia viveremos felizes para sempre... Ou não.

Sentiremos falta das brigas, dos choros, da imperfeição... porque tudo que é perfeito demais irrita e enjoa.

Déia Félix disse...

Não acredito nesse futuro! E se ele um dia acontecer, vai ser uma pena! Eu amo big mac! hauahaua