6 de julho de 2008

Um trecho de um segredo

...Uma, dentre as poucas coisas que me foram dadas a aprender nestes abrilhantados anos de sorte desde que aqui cheguei, foi que alguns sentimentos não podem nascer solitários. E não nascem. Não podem existir se não são recíprocos, porque necessitam ser alimentados. Somos espelhos. Refletindo e sendo refletidos. Espargindo luz. E nos encontramos porque vimos a luz crescer quando nos miramos simultaneamente. Fez-se um facho indizível. E todos os meus verbos despediram-se de minhas idéias diante desse raio que nasceu de nós...

7 comentários:

Victor Luna disse...

Isto é muito significativo.
Um tostão de emocional com a razão amainada.

Danou-se num parágrafo muito bonito!

Fe disse...

Nossa, entendo pq sou apaixonado por suas dizeres e seus escritos...

Uauu

Magno disse...

Realmente indivizível...
Mas nem sempre recíprocos...

Beijos Cá!
Má (em greve)

Anônimo disse...

De quem é a sorte, CDL? Daquele que percebe a sublimidade da existência deste sentimento/emoção ou daquele que se vê dentro desse círculo de amor? (Essa é para os períodos em que filosofamos.)

Minhas palavras se tornaram aladas pelas penas do Cupido...

P.p.

Magno disse...

...e quando você acha...doe...
E isso faz com que o sofrimento aumente...

Pois, nunca é igual!

rodolfo disse...

dá onde vc copiou isto?
huahauhauahauaha
Rodolfo

Joey Marrie disse...

reflete... reflete...

essa amizade refletiu longe, hein Camila?
ou será que os reflexos foram como o das estrelas que demoram a chegar ao nosso planeta? os teus reflexos ficaram por aqui quando estiveste no Forum Mundial e ocorreu um retardamento para eles chegarem até mim? não sei, não sei... só sei que foi assim!!!