19 de agosto de 2008

Areia MoVe...d..iÇa...

O devaneio é o lugar onde se cria. No meio daquela névoa, naquela distância, onde tudo o que não é a voz do próprio pensamento fica abafado... Quando não se sente exatamente nada, mas alguma coisa que faz do ser algo insustentavelmente leve.
Mas é do desespero que surgem indagações e buscas. E não da iluminação criativa. A falta de esperança e de confiança no método (caminho) é o que leva a novos métodos.
Nada é tão engraçado, senão a crueza do que é real.
A ironia e a comicidade ajudam a entender melhor o real porque, no fundo, são ásperos, são duros, machucam. Então, chocados, indefesos, rimos.
Como agora. Ao perceber que nada disso precisa ser verdade.
E, possivelmente, não é.

3 comentários:

vemqueeutofacil.com.br disse...

Devaneio: uma ideia que aparentemente parecia estupida, mas quando voce a analisa pela segunda vez, percebe que aquilo que pensou, na verdade era mesmo pura poesia.

resumindo, nao entendi muito sobre o texto, mas me fez pensar sobre devaneios...

Magno disse...

Tem um cara que estudou comigo que chama Devanei!

Será que a mãe dele tinha devaneios? Enfim...

Se vc tá dizendo que num é verdade então tá...

Mas vamos devanear então...tá?

Beijos Cá...
Má (num guento mais chamar o Juca!!!)

Déia Félix disse...

O Magno e suas piadinhas! hauahauahauahauahaua

O que mais se pode fazer depois de conhecer um pouco da realidade? Rir! Isto é, depois de se inconformar, espernear, bater na mesma tecla, tentar mudar algo e não conseguir e bla bla bla...