17 de janeiro de 2009

Every sense into nonsense

_ Pai, não gosto da guerra.
_ Por quê, meu filho?
_ Porque a guerra faz a História e eu não gosto de História.


E eu não gosto de guerra. Nem dos filhos dela, nem de seus pais.
Mas não vejo outra forma de acabar com ela senão amando-lhes todos.

4 comentários:

Lápis disse...

nossa!Que da hora!

Onde vc pegou ese diálogo??
Ou vc criou?

beijo

Magno disse...

Num intendi...

Será que os palestinos vão conseguir?
Mas pensa...a guerra contra os fumantes é enorme...por isso vc ama a Natóolia...agora entendi...

É verdade pra acabar com a guerra é preciso amar...Mesmo que a pessoa que vc vai amar vá morrer com enfisema ou coisa do tipo...AHAHA BRINCADERA NATÓLIA...

BjoCá

Luciano disse...

"partindo-se da premissa de que liberdade é possível. Total. Ou parcial? Ou é impossível? Negociável.
Bem, posso resolver o impasse, tomar outra atitude ilocutória e ordenar. Ou agradecer. Ou criticar. Ou te matar. Quer ver?
_ Bang bang!
Viu?
Morreu!" ... mas amar... amar ainda resolveria tudo.

gemini disse...

Há controvérsias, se lembrarmos que muitas guerras começam e começaram por amor. Ou pela falta dele, se pensarmos que a falta de algo supõe que já o tivemos algum dia.

Mas, do meu ponto de vista, tb não consigo enxergar outra forma de acabar com ela senão através do amor, o verdadeiro grande tema de todas as histórias, desde sempre, e para sempre. Simples, puro e inocente.

Ou não tão puro e não tão inocente, mas é assim que deveria ser.

Ah, o amor...