18 de fevereiro de 2009

notas PontuaiS

Cheguei a pensar que nove da noite de uma terça-feira não era exatamente o que eu chamaria de um bom horário para cantar animadamente no karaokê. Mas contive meus pensamentos de vizinha mesquinha e aguardei, pacientemente, até às 10h.
Depois até às 11h.
Depois até meia-noite.
Depois não me lembro mais.
Acho que dormi embalada pela voz, digamos, um tanto inconstante de um senhor que, imaginando a cena, estaria com uma latinha de cerveja na mão e muitas outras aos pés.
Mas não cheguei a ter pesadelos com isso, embora tenha acordado no centro elíptico de um terremoto.
O chão tremia e o barulho era como mil vendavais ao mesmo tempo agora engolindo o meu quarto.
Abri a janela às seis da matina.
Ufa!
Era só meia dúzia de trabalhadores abrindo uma cratera onde acomodarão um novo condomínio.
Assim sim...
Voltei a dormir mais tranquila.

3 comentários:

Amanda Proetti disse...

Ohooooooooooo tadinhaaaaaa!!! Alguém deixa minha menina dormir hein!!! rsrss

Magno disse...

Nossa karaokê da madruga hein...

Mas que saco esse povo acha que é da BRÓDUEI...brincadera viu...

Olha...fiquei sabendo de uma atividade sísmica na Santa Cecília...mais precisamente na rua Dona Veridiana...Era o chacoalhar dos dados mais famosos da intenê...

Era sonho com costeletas...bermudas...enfim...sonhos do passado...

BjoCá
Má (Remember remember the fifth of November Gunpowder, treason and plot. I see no reason why gunpowder)

Luciano disse...

Mora no meu cantinho, aqui não há barulho pela manhã e pela noite o único barulho a se escutar serão os estalos dos meus beijos... Cê quem sabe..