24 de abril de 2008

...o que eu também não entendo...

Bem, todos estão falando no terremoto. Então também vou falar. E o que tenho a dizer é extremamente importante:
O que eu tenho a dizer é que não tenho nada a dizer. Porque eu não senti o tremor. Não senti nem vi nada. Nem conversei com quem tenha sentido.
É isso.
Mas tem uma coisa mais legal ainda: tô doente.
Analisando os fatores psicológicos que me levaram a somatizar uma dor de garganta fenomenal e pesquisando os males da humanidade em livros sobre questões psicossomáticas descobri que a culpa é minha.
Dor de garganta significa algo mal-digerido, uma comunicação reprimida, ou algo assim.
Asma também. Interessante isso aparecer agora...
Pena que certas coisas a gente não pode verbalizar.
Tipo... @$%#^&*%#&*@^%$
Vou ter que superar sozinha.
É a vida...

4 comentários:

Magno disse...

Olha...também num senti nada...

Mas umas 10 pessoas me ligaram pra contar como era bacana se tremilicar todo...

E agora?
Vc tá duente...
E se for mesmo alguma coisa engasgada...trata de cuspir viu!

Realmente...tem coisas que nao dá pra verbalizar...qnem isso:
"38 83 266"

É isso...vou me indo...

Bessos Cá...
Má (Por favor...o meu mexido...não tremido! HÁ!)

Magno disse...

Ooooo mano...

Qualquer coisa...estamos aki!

Arrivedertchi

Tammíris Teles disse...

Ahhh eu senti o terremoto!!!
Tremeu tudo aqui!!!
Mentira. Tudo não. Tremeu a mesinha do meu computador. Achei que tinha alguém balançando a mesinha por trás, mas não cabe ninguém atrás da mesa. Mó medo. Mas passou. Foi rápido. Nem um minuto. Depois que fui ficar sabendo que teve terremoto. Aí sim fiquei com medo. Já pensou? Um pouco mais forte e já era...
rs

Beijos!

Felipe disse...

Ue... ai te pergunto.. eu estava a metros da Thata, estava na tupi duas quadras da casa dela, e nada senti???

Porque não fui o escolhido?? Cade a famosa democracia nessas horas?? ham???

enfim...., faço o possivel para ser visto mass...