7 de abril de 2008

Ephebeum

O universo acadêmico é mesmo uma coisa fascinante.
A exigência da ciência, do método, da certeza que não é, nem pode ser, certeza.
Daí a gente lê, pesquisa, compara Dados, verifica a direção do vento, fotografa, cartografa e vai a campo. E recomeça.
O Homo Academicus Estritus não é muito diferente do macaco. A diferença é que você pode conversar com ele sobre Schopenhauer. Mas lhe dê uma criança faminta pra ver o que acontece. Ela morre.
O campo, onde tudo acontece - como teorizou Bourdieu - é a parte mais engraçada, porque é onde você pode rir de si mesmo e das certezas, certas dos mapas e inválidas na vida.
A vida.
Os livros são ótimos, mas só o campo ensina a viver.
Fascinante.

3 comentários:

nata disse...

Eu ja sabia... hahahah...
Eu sempre sei de tudo... hahahahaha

Viu...tem post novo no toada.
bjus

Magno disse...

Realmente...é no campo onde tudo acontece...

Os jogadores fazem gols...
Quebram as pernas...

O que é Ephebeum?

Explica ae truta!

Um Beijo Cá...
Má...(linda!)

V. B. de Moraes disse...

É assim que não se teoriza, portanto, o viver.

Não creio que apenas rir das certezas certas dos mapas, porém, inválidas na vida; seja uma equação.

O nome disso é se apegar.

Mas tudo não passa de teses sem fundamento.