4 de setembro de 2008

Trilha


...E, pelo habilidoso manejo do destino, acabei me tornando discípula do andarilho do óbvio. Só que mais óbvia.


A professora do pré dizia que a gente ia ser grande um dia. Eu pensava que no ano 2000 eu seria maior do que sou agora, em 2008.


Uma discípula. De um auto-denominado andarilho. De um óbvio que precisava ser desvelado. E ainda precisa.
Um suspiro no concreto, no tempo, no vácuo, no espaço, no meio do povo.
Nos sapatos.
Andarilha.

2 comentários:

Magno disse...

Grande Freire!!!

Não conheço muita coisa sobre ele... Mas uma amiga que leu alguns livros disse que ele é fera...

E ele mudou o ponto de vista de algumas coisas...

E eu confio nesse julgamento...

O problema de ser andarilho nos dias de hoje são as bolhas no pé...
Afinal com o aquecimento global, haja sapatos confortáveis...

Enfim...vc já é grande!! Mais do que imagina...

E pelo que eu sei, um dia vão dizer a mesma coisa sobre vc...

Beijos Cá...
Má (Caminhando e cantando...)

Anônimo disse...

A jornada já teve outros antes a deixar suas pegadas.

Agora você começa a marcar as suas.

Na senda, esses jornalistas...