16 de abril de 2009

PoliDez

As regras sociais da polidez, ainda que se trate de virtudes aparentes, são necessárias para que não se trave uma guerra civil em todo e cada encontro de mesa de bar, quiçá em reuniões formais, visando preservar o equilíbrio entre os conflitantes interesses do Ego e do Alter, evitando atos lingüísticos (e, porquê não, físicos) vexatórios, próprios e alheios, é claro.
No começo pode parecer complexo, mas é quase intuitivo, óh!:

_ Com licença. Boa noite. Você vai usar esta cadeira? Eu poderia pegá-la emprestado, se não for um incômodo, claro?

A esta aproximação polida, dificilmente alguém responderia:

_ Eu sentei nesta mesa primeiro, logo, este é meu território e, tanto a mesa quanto as quatro cadeiras fazem parte do que é meu por direito (face negativa, bens materiais/simbólicos). Então, idiota, não importa se eu vou usar ou não. É meu. Cai fora.

Não, não. Claro que não. Ao menos não numa situação de sanidade mental comprovada!
Da mesma forma, é pouco polido (lítote) dizer “fecha ae a janela!” em comparação com “você poderia, por favor, fechar a janela pra mim?”, embora a primeira mensagem seja mais direta e clara.

Não custa nada cuidar para que nossas interações sejam elegantes e, por isso mesmo, mais interessantes, construtivas e seguras, não é mesmo?

_ Vai ae, mano! Fala manso senão eu te dou um soco no meio da fuça, tá certo? Falei? Experimenta bancá o mandão, vai! Cê vai ver só! Nunca mais falo com você! Cuidado aí com os decibéis! Baixa a voz que não sô surdo, não, mané! Cê pensa que é quem, hein?! A gente não vai fazer Press Kit do Ovelha nem do Wander Wildner coisa nenhuma, não, nêgo. Pode esquecer. Não e não! -> Exemplo de alguém pego em pleno ato lingüístico eloqüente em proteção à sua face positiva (imagens valorizadoras de si). Qual a chance de sucesso da argumentação?

5 comentários:

Magno Nunes disse...

Isso depende do tamanho do Peão...

Se ele for normal, tipo Barbosa, demoro caio pra dentro e arrebento ele...ahahha

Mas pensando bem, ele curte o Wanderr,pra que eu iria contra ele...É NOOOOOOOIS! VAMO AE QUERIDÃO O MUNDO É NOSSO!

Luciano disse...

Viu!?
As pessoas dizem que sou formal, pffff... Nem sou não. Só sou polido no que digo, eu acho, rs... E de vez enquando, rs.




"O Crepúsculo deixou de ser imaginário, e a noite digeriu os céus, e depois de longa madrugada o sol tirou a escuridão para dançar.

O fato é: Já que o meu crepúsculo foi brincar com a noite e com o sol, estou esperando você para me tirar de uma 'solícita solitude'
http://lucianodesalua.blogspot.com/ "

Diego disse...

Hum. A verdade é que existem pessoas que não necessitam nem abrir a boca para demonstrar grosseria. Mas Wander Wildner é legal! Um Beijo!

Diego
http://vinteeoito.wordpress.com/
http://vidapessimista.wordpress.com/

Luciano disse...

Em resposta:
Acredite, não é impressão!

Já comentei a minha capacidade de roubar dos outros palavras, não?
Pois bem, faço o mesmo com as habilidades mais legais que vejo nas pessoas, desde tre-jeitos até a forma como elas respiram, ou escrevem.
Não copio na sua forma plena, até por quê seria impossível, mas vou roubando e mesclado com o que tenho de melhor, ou pior. Mas faço. Não me orgulho muito disso não, mas nem por isso andei me corrigindo.

Inté! :)

Joey Marrie disse...

"Se eleito for, ivestirei todo o dinheiro de vocês em bens particulares, comprarei jatinhos, castelos... pagarei viajens para os meus familiares e amigos com dinheiro público. Não melhorarei a educação, a saúde, e todos voces vão ficar f..."

Viva a polidez!! ;D