10 de outubro de 2008

Panaceia

(photo by Magno Nunes)
Menos líquidos quer dizer mais sólidos, mais reais. E só é real quando é visível? Quer dizer que todas as pessoas que eu não vejo não existem? E não existem porque eu não as vejo? Ou não as vejo porque, de fato, não existem? E se eu visse? Existiriam? Sim, porque se existissem eu veria. Ou não? E qual é a cura para a liquidez de tudo o que eu vejo e, ainda assim, não é real? E a cura para a realidade que parece mais sombra da criação líquida? Como tornar o real real e deixar tudo quanto é líquido se esvair sem importância nobre? Por quê damos importância ao que não é real e descuidamos do que é real? Pra quê conhecimento se não o estamos usando para mudar a realidade, senão para recriá-la mais bonita em biosferas virtuais?
Você, que está aqui, no blog, não está aqui, comigo. Está aí, sei lá onde. O espaço que aqui está - blog - não o localiza realmente, só virtualmente.
É bonito aqui. E aí? Como é?

4 comentários:

Magno disse...

Triste e sombrio, se vc pensar pelo lado da solidão...

Acolhedor e quentinho, se pensar que o real, mesmo que não seja do nosso modo, é perfeito...ou quase...

BjoCá...
Má (OHHHHH FOTOGRAFO DE PLANTÃO!)

gemini disse...

Já dizia um conhecido meu: "tudo que é sólido pode derreter"...

Déia Félix disse...

O que é real para voce é o que voce pode ver. Mas o importante é saber que existem coisas além, outras visões, outros mundos, outras realidades, voce vendo-as ou não. Mas pode conhece-las se quiser!

Felipe Teles disse...

Algumas coisas não precisam existiram para que existam pra voce... isso depende de cada um... ai ... tipo assim (rs)... cada um ve "coisas" diferentes e tudo se torna mais interessante..
ja penso que merda tudo existir pra tod mundo?:
Puta que pariu...

ah..aqui eh chato..e todo mundo existe ate demais..