2 de outubro de 2008

Só mais uma de amor...

A despeito de um passado talvez nem sempre honrado, eu diria a Deus:

_ Mas ele teve medo.
_ Eu também tive quando o fiz. E mesmo assim fiz. - responderia o Deus, insensível diante de meus argumentos.
_ Mas veja os braços dele! Com essa idade e são maiores que os meus! Ele trabalhou! Veja os cabelos e a barba branca, veja as dobras no rosto e no corpo todo, olhe a respiração ofegante e a fragilidade, Deus! Este senhor merece o céu!
_ Só haveria de ter porque eu criei o céu, criei ele e tudo o que existe. E ele? Não pôde sequer criar seu próprio céu com tudo o que lhe dei! Precisa agora do meu!

E eu, já no fim de minhas idéias, responderia sem forças e sem esperanças, mas tomada de compaixão não só por aquele homem, mas pela humanidade inteira e por tudo o que não é humano também, responderia àquele Deus divino, que obviamente não poderia mesmo ser humano:

_ Mas você era um Deus então. Ele... era só um homem.

E Deus, inexplicavelmente, enviou-lhe para o seu céu.

5 comentários:

Magno disse...

O céu é o limite?
J Silvestre dizia que sim...
Mas acho que esse Deus aguarda que nós mesmos possamos fazer nosso próprio céu...

Mas será que a gente consegue fazer do nosso céu o paraíso?
É dificil...mas tem gente que consegue..

Não pude...

BjoCá...
Má (Purgatório...)

Inquietos disse...

creio que eu também não tenha o mesmo caminho do homem..
rs

excelente Cá, excelente..

bjos,
Gui.

O Fabrício ohohohoh disse...

Caminhos distintos eu diRIA!

sEMPRE CONFLITANTE

Caps ta doido

Te amo

Magno disse...

E qual é a próxima?

Anônimo disse...

Só os andarilhos sabem onde estão as pedras de tropeços da vida. Talvez tenha se deparado com um deles...