20 de maio de 2008

Olhar de olhos fechados

A sábia Pocahontas já cantava “lá na curva o que é que vem...” nos anos 90.
Ela remava por um rio arredio como seus cabelos e se empolgava até chegar numa bifurcação. A árvore sempre dizia pra ela “siga o coração e vai entender...”.


Os momentos de decisão me parecem sempre assim. Se auto-resolvem. É só ficar olhando. E de olhar - a quântica explica - já interfere. O coração é quem olha.
As decisões já vêm tomadas. A gente sempre sabe o que tem que fazer. Por mais irracional, por mais louco, por mais desvantajoso que possa parecer à primeira vista, a decisão se auto-toma. E toma nosso coração e o enche de uma certeza estranhamente inevitável.
...A idéia é continuar remando além da curva. E só então... descobrir o que é que vem...

5 comentários:

Anônimo disse...

É... são os plenos mistérios da vida que às vezes não queremos ou deixamos de os ver...
Obrigado!
P.p.

V. B. de Moraes disse...

E aquele que a priore seria o indeciso, de pés fincados no muro se converteria em cauteloso, ponderado?



*gostei do "auto-toma".

Magno disse...

Todo mundo sempre diz palavras bonitas e dificeis...

Mas esqueceram de um ponto fundamental!

Vc já sabe o que vem? Ou já tomou uma decisão hoje?

Enfim, eu já...vou estudar pra minha prova....Realmente...olhar de olhos fechados...

Beijos Cá....(só uma pessoa...)

Fe disse...

(Realmente todos só querem escrever bonitos, mas lembram e fazem oque dizem?)

Confesso que enfeitamos e muito bem nossas decisões, nos auto fazemos duvidar daquilo que é absurdo mas obvio, e não podemos nunca remar pra trás. Logo seremos levados, pra lá e pra cá, rumo a próxima bifurcação, seja ela de 2 3 10 caminhos, apenas feche os olhos, quando abrir ,estará feito.

E acredite ou não, foi voce.

Te amo completamente

Magno disse...

Falow e disse felipera!